BEM-VINDO AO NOSSO BLOG!


Com muita alegria apresentamos o blog da Paróquia Evangélica Luterana Renascer em Cristo , com sede em Rio Branco, AC.


Além da sede, que fica no bairro Estação Experimental, no caminho do aeroporto, temos também um ponto de pregação aqui na capital no bairro Areal.


No interior atendemos Brasiléia, na divisa com a Bolívia, a 230 Km de Rio Branco, e Redenção e Ramal do Bigode, município de Acrelândia, a 110 Km da capital. Outro ponto de pregação fica na estrada que vai a Porto Acre, a 35 Km daqui.


Queremos compartilhar com vocês mensagens, fotos, informações e notícias de nosso trabalho, com o grande objetivo de levar Cristo para todos, especialmente em nosso estado e região, com é o lema de nossa IELB - Igreja Evangélica Luterana do Brasil.


Um grande abraço, no amor de Cristo!



Pastor Leandro.






terça-feira, 4 de agosto de 2015

"O Senhor é o Meu Pastor, nada me faltará" Sl 23.1. Eu sou o Pãp da Vida, disse Jesus. Alimentem sua fé no Salvador Jesus buscando o pão que dá vida e não o que perece e dá fome de novo. Jesus é o verdadeiro Pão que dá vida eterna, busque-o e você nunca mais terá fome espiritual. Deus abençoe a todos. Pastor Walter Ribak.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sejam todos bem vindos.

Olá, sejam todos bem vindos para escutar a Palavra de Deus. Ela é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos (Sl 119.105). Que Deus derrame ricas bênçãos a quem quer seguir seu caminho e ouvir sua Palavra.
Pastor Walter Ribak

domingo, 20 de abril de 2014

Por nós!



Leia em sua Bíblia Mateus 28.1-10

Na madrugada da primeira Páscoa cristã, domingo bem cedinho, algumas mulheres, dedicadas seguidoras de Jesus, foram ao seu túmulo, cheias de tristeza. Queriam embalsamar o corpo do Mestre, pois na sexta-feira tiveram que fazer algo às pressas, porque no por do sol começava o sábado judeu e neste dia era proibido rigorosamente qualquer trabalho.

Elas não se lembravam ou não acreditavam no que Jesus tinha dito dias antes: o Filho do Homem vai ser entregue nas mãos de pecadores, que o crucificarão, e ao terceiro dia ressuscitará. Esperavam, como seria natural, encontrar um corpo no túmulo, como havia sido colocado lá naquela trágica sexta-feira.

Mas, estavam enganadas! A pedra da tumba estava removida e os guardas que estavam ali tinham caído como mortos. E, para mais espanto delas, um anjo apareceu e lhes disse: Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado, mas ele não está aqui; já foi ressuscitado, como tinha dito. Venham ver o lugar onde ele foi posto.

Aquela notícia as assustou, mas também mudou sua tristeza em alegria. O anjo ainda lhes deu a tarefa de avisar aos discípulos que Jesus tinha ressuscitado e mais tarde iria vê-los. E, antes de chegarem em casa, o próprio Jesus lhes apareceu, lhes desejou a paz e foi abraçado por elas. Jesus também as mandou avisar os discípulos que iria vê-los na Galileia.

Elas foram e contaram a boa notícia aos discípulos que, primeiro, acharam que elas estavam delirando, mas acabaram indo ao túmulo e vendo que Jesus realmente não estava mais ali, mas havia ressuscitado.

Muitos de nós, meus irmãos, ouvimos esta maravilhosa história desde criancinhas. Não é difícil cairmos no erro de acabar achando que a morte e a ressurreição de Jesus são lindas histórias religiosas, que aconteceram há muito tempo, mas não têm muito a ver com a gente hoje.
 
Este é o sentimento de muita gente em nosso mundo. Basta vermos como igrejas, procissões e apresentações teatrais sobre a paixão, morte e ressurreição de Cristo atraem multidões nesta época do ano, mas depois muitas dessas pessoas passam o resto do ano sem dar atenção à fé.

A Palavra de Deus é totalmente contra este tipo de pensamento. Paulo diz em 1Co 15.57: Mas, agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo! Através de Cristo Deus conseguiu a vitória por nós e verdadeiramente a sua ressurreição nos afeta agora, hoje, em 2014, porque a tumba está vazia e Jesus está vivo! A vitória de Cristo não só dele e para ele, mas também para mim e pra vocês.

Na epístola de hoje o apóstolo diz que Cristo é a verdadeira vida de vocês (Cl 3.4a), pois Ele morreu e ressuscitou por nós. Esse “por nós” é muito importante para entendermos a Páscoa. Dizer que Jesus morreu numa cruz e ressuscitou é fácil, mas quando acrescentamos as palavras “por nós”, o que Jesus fez fica com um significado totalmente novo, pois tudo o que Ele fez, fez realmente por nós - foi algo muito pessoal:

Ele morreu por nós para nos dar perdão dos pecados.
Ele sofreu por nós para que sejamos feitos justos diante de Deus.
Ele ressuscitou por nós para nos dar a confiança de que nós também ressuscitaremos um dia, como Ele foi ressuscitado pelo Pai, e tomaremos parte da sua glória, como diz Paulo em Colossenses 3.4.

A vitória de Jesus é a nossa vitória. A morte não o pode deter e não poderá nos prender também!

A morte, é claro, é terrível, triste, cortante. Ela interfere na vida da gente, cortando relacionamentos que temos com pessoas muito próximas a nós. Ela nos separa do marido ou esposa; não nos deixa ter mais tempo com nossos pais, ou filhos; não nos deixa mais sorrir e nem chorar com as pessoas que amamos; nos faz pensar se conseguiremos ir adiante quando alguém querido nos é tomado.

Não duvidamos da vitória de Jesus sobre a morte, mas mesmo tendo muita fé, a tristeza e a angústia que a morte traz podem ser muito doloridas, pois temos que enfrentar a perda, a separação e anos sem uma vida junto com aquela pessoa.

Mas, no meio dessa tristeza e dor, temos uma palavra de esperança: este não é o fim, a história não termina aqui! Por causa da Páscoa, a separação será temporária, pois assim como Jesus foi ressuscitado da morte, eu e você e cada um que morre em Cristo será ressuscitado também e recebido na eternidade, e nunca mais haverá separação. Isto porque Deus através de Cristo conquistou a vitória e a vida por nós!

Isto faz toda a diferença em nossa maneira de viver e de encarar a morte hoje e no futuro. Nada pode nos separar do amor de Deus, dado a nós em Cristo, nem a própria morte. Não gostamos de pensar na nossa morte ou de familiares, mas por crermos em Jesus podemos com toda confiança dizer sempre: “Estou pronto para ir quando Deus me chamar”.

Temos, como as mulheres e os discípulos, depois de verem Jesus vivo, paz, confiança e esperança no amor de Deus. Confiança que nos vem ao olharmos para a cruz e a tumba vazia e saber que existe uma nova vida, uma nova morada e um novo corpo esperando por nós na eternidade, pois Jesus nos diz e garante: Porque eu vivo, vocês também viverão (Jo 14.19).

 Com a vitória de Jesus por nós, nossa vida recebe um novo sentido, uma nova direção e um novo objetivo – levar a muitos essa vitória e salvação que só Jesus Cristo, o ressurreto, pode dar.

E, quando chegar o dia da nossa morte, poderemos dizer com toda confiança e fé: Eu fui perdoado, eu fui aceito e agora Cristo me dá a vitória sobre a morte. Estou indo para casa, pois Ele fez tudo por mim.

Que esta gloriosa vitória da Páscoa, que celebramos hoje, encha nosso coração e nossa vida com esperança, confiança e alegria, para um feliz reencontro na vida eterna, onde Jesus espera por nós! Amém.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Deus nos dá crescimento e união!


Leia em sua Bíblia 1 Coríntios 3.1-9


De vez em quando vemos reportagens na TV sobre o crescimento do Brasil e, junto com ele, das ofertas de trabalho em todo o país. Uma coisa sempre é repetida: em muitas áreas sobram vagas de emprego porque não há pessoas qualificadas para aquelas atividades ou funções.

Muita gente parou de estudar, muitos não têm cursos e treinamento necessário para preencher as vagas de trabalho. Podemos dizer que muita gente parou de crescer, ficou só no be-a-bá do estudo.

Bem, se para o Brasil crescer e progredir ainda mais é necessário que primeiro o seu povo cresça, não é diferente na Igreja: para que a Igreja cristã cresça, é necessário primeiro que os seus membros cresçam – cresçam na fé, no conhecimento da Palavra de Deus e suas doutrinas, na oração, no serviço ao próximo, na comunhão e respeito entre os irmãos, na oferta de dons, tempo e dinheiro e na união em torno dos objetivos que Deus colocou para nós.

A diferença entre o crescimento do país e o da Igreja é que na Igreja o próprio Deus é quem nos faz crescer. Por isso, olhando para os textos de hoje, nosso tema é: Deus nos dá crescimento e união!

Na epístola de hoje vemos o apóstolo Paulo decepcionado com os cristãos de Corinto, pois tinham recebido o Evangelho e a fé, mas não haviam crescido na vida espiritual, como lemos nos versículos 2-3: Tive de alimentá-los com leite e não com comida forte, pois vocês não estavam prontos para isso. E ainda não estão prontos, porque vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem?

Havia entre eles divisões, brigas e comportamentos de pessoas do mundo e sem Deus, inclusive algumas coisas que aparecem no evangelho de hoje – imoralidade sexual, problemas no casamento, processos entre irmãos na fé, falta de respeito pelos irmãos e pelo pastor, como vemos nos capítulos 4 a 10 da desta epístola.

Paulo já pede no capítulo 1.10: Irmãos, peço, pela autoridade do nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês estejam de acordo no que dizem e que não haja divisões entre vocês. Sejam completamente unidos num só pensamento e numa só intenção. E diz também em nosso texto: veja os versículos 5-7.

E antes de pensarmos que não estamos tão mal como os coríntios e que entre nós as coisas são diferentes, convém olhar o que dizem outros textos bíblicos:

- O Salmo 119.2 diz: Felizes os que guardam os mandamentos de Deus e lhe obedecem de todo o coração!  Alguém de nós pode dizer que realmente obedece a todos os mandamentos e a Deus de todo coração...?

- Em Deuteronômio 30.20 lemos: Amem o SENHOR, nosso Deus, obedeçam ao que ele manda e fiquem ligados com ele... Como fazer isso, se a cada coisa “boa” que fazemos temos um monte de outras ruins que mostram nosso pecado? Se no meio de alguns pensamentos bons, temos muitos e variados maus pensamentos? Se para cada minuto que passamos lendo a Bíblia ou participando do culto, passamos horas na frente da TV ou computador? Se para cada real que ofertamos para o Reino de Deus, gastamos muitas vezes 10, 20 ou 30 com vícios, desejos egoístas ou coisas desnecessárias ou simplesmente por vaidade e cobiça?

- E em Mateus 5.21-37 ouvimos Jesus nos dizer que odiar e não perdoar já é matar; que olhar para alguém com cobiça já é adultério; que separar-se do cônjuge ofende a Deus; e que não ter palavra firme e honesta é um problema sério diante de Deus.

É muito claro, meus irmãos e irmãs, que não vivemos como Deus espera de nós, mesmo sendo cristãos já perdoados e tendo a Bíblia para nos guiar. Ou seja, não somos melhores do que os coríntios que tomaram uma bronca de Paulo. Essa bronca serve para cada um de nós também, talvez para uns mais em algumas áreas da sua vida cristã e para outros em outras áreas, mas ela nos faz ver o quanto precisamos crescer e melhorar, e o quanto precisamos de ajuda para isso!

E como, e o que devemos fazer então? É aí que entra nosso tema: Deus nos dá crescimento e união! O mesmo Deus que exige de nós perfeição, sabe que não podemos ser perfeitos e que, sozinhos, nem sequer vamos crescer.

Por isso Paulo diz no versículo 9: Porque nós somos companheiros de trabalho no serviço de Deus e vocês são o terreno no qual Deus faz o seu trabalho. Vocês são também o edifício de Deus. Ele nos dá crescimento e união porque somos o terreno onde Deus planta e faz crescer a fé verdadeira, somos o edifício que Deus vai construindo pela fé. Como?

Como Deus planta, faz crescer e constrói em nós? A resposta Paulo dá em 1Co 1.23, 2.2 e 2.13, onde lemos: Mas nós anunciamos o Cristo crucificado - uma mensagem que para os judeus é ofensa e para os não-judeus é loucura. Porque, quando estive com vocês, resolvi esquecer tudo, a não ser Jesus Cristo e principalmente sua morte na cruz. Portanto, quando falamos, nós usamos palavras ensinadas pelo Espírito de Deus e não palavras ensinadas pela sabedoria humana. Deus usa o Evangelho, que vem a nós na Palavra, Batismo e Santa Ceia, para nos fazer crescer na fé, na vida cristã e na união.

É em torno do Evangelho – Cristo como nosso Salvador e centro de nossa fé e vida – que progredimos na fé e vida cristã, pois no Evangelho o Espírito Santo age em nós, transforma nossos corações e nos faz fugir daquilo que atrapalha nosso crescimento espiritual – a imoralidade, vícios, cobiça, egoísmo, inveja, desunião, desonestidade, mentira, comodismo, etc.

Através da Palavra e Sacramentos Deus nos dá crescimento e união. Unidos, pastor, membros, homens e mulheres, crianças, jovens e adultos, cada um de nós com o que recebe de Deus, semeamos a Palavra de Deus e Ele dá o crescimento. Mesmo sendo fracos e pecadores, Ele nos usa como instrumentos para levar o Evangelho puro, que é a salvação unicamente pela graça de Deus pela obra de Cristo, unicamente pela fé em Jesus e não por obras, e revelada somente na Escritura, para outros pecadores como nós, que Deus também quer salvar.

Quando Deus diz lá em Deuteronômio 30.15: Hoje estou deixando que vocês escolham entre o bem e o mal, entre a vida e a morte, na verdade Ele já tinha nos escolhido e pago pelo nosso mal com Cristo na cruz em nosso lugar, escolhido nos dar em Cristo o maior bem: o perdão dos pecados, vida e salvação eterna com Jesus!

        Para nossa Igreja crescer é necessário cada um de nós crescer, e sabemos que Deus nos dá crescimento e união. Vamos então todos nós crescer, usando o que Ele nos oferece para operar em nossos corações: vamos ler e estudar cada vez mais nossa Bíblia – e o Catecismo, o Castelo Forte e outros materiais nos ajudam muito nisso; vamos nos comprometer a participar sempre e ativamente dos cultos, estudos bíblicos e outros programas onde a Palavra de Deus é ensinada; vamos participar sempre da Santa Ceia; e, no dia a dia, vamos deixar Deus guiar nossos corações e mentes, no uso de tudo que Ele nos dá em seu amor.

No Salmo 119.8 há um pedido a Deus: peço-te que não me abandones nunca. Deus provou que nunca nos abandona, quando deixou Cristo morrer na cruz em nosso lugar. Agora somos da sua família e podemos ter toda a certeza de que Ele está ao nosso lado e quer comunicar a Vida que Cristo dá para muita gente, através de nós, pois Deus nos dá crescimento e união!

Que Ele assim nos faça crescer e trabalhar unidos, em Cristo! Amém.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Felizes os que seguem a Jesus!


Leia em sua Bíblia Mateus 5.1-12

Olhando para o Evangelho de hoje, com o titulo de “a verdadeira felicidade” ou “as bem-aventuranças”, pergunto: será que alguém consegue ter essa felicidade ou ser bem-aventurado desse jeito? Pois, as 9 bem-aventuranças são na verdade qualidades que Deus espera encontrar em cada cristão, e não em várias pessoas diferentes. É como Deus quer que cada um de nós, seus filhos, vivamos.

 Abra a sua Bíblia em Mateus 5.1-12. Vamos ver melhor cada um dos “felizes” ou “bem-aventurados” e o que eles realmente querem dizer, para podermos aplicá-los em nossa vida cristã. Vamos ler juntos cada versículo e então eu vou fazer comentários sobre cada um.

- V. 3: Será que os “pobres” ou “humildes” aqui são os pobres materialmente, como alguns querem ensinar? Não. Aqui, pobres são os que, possuindo muito ou pouco materialmente, têm consciência de seu próprio vazio espiritual, de sua pobreza de espírito diante de Deus.
- V. 4: Aqui, alguns ensinam que os que choram o fazem por causa dos sofrimentos ou injustiças da vida, ou por motivos materiais. Na verdade, felizes são os que choram por seus pecados, pois sabem que estes os afastam de Deus e da salvação. É ter uma tristeza movida por Deus, que nos faz reconhecer que ofendemos a Deus com nossos pecados, como diz o apóstolo Paulo.
- V. 5: Ser humilde ou “manso” é algo que parece fora de moda no mundo de hoje, tão violento, egoísta, cheio de maldade e disputas. Ser humilde, segundo Jesus, é não ser orgulhosos e arrogantes, mas sim gentis e amigos. É ter força para até pisar no outro, mas não fazer isso, preferindo usar sempre o amor e a paciência. É ser uma bênção para os irmãos na fé e também para os desconhecidos e até para os que nos odeiam.
- V. 6: Só podemos ter fome e sede de fazer a vontade de Deus (ou justiça) quando temos um relacionamento justo e direto com Deus. Isto só é possível através do perdão e da justificação que Deus nos dá, isto é, pela salvação de Cristo, que nos cobre com sua justiça e nos capacita a viver uma vida nova onde queremos sempre fazer a vontade de Deus.
- V. 7: Usamos muito a palavra “misericórdia” na igreja, mas, o que ela realmente significa? Misericórdia quer dizer “compaixão do coração” e o sentido é ter amor, compaixão, solidariedade com aquele que, aos nossos olhos, não merece receber nada disso. É ter compaixão do outro que é pecador como eu e trazer-lhe alívio. O maior exemplo é a misericórdia de Deus, que por amor deu seu Filho para morrer por nós, que não merecíamos seu amor. Misericórdia sempre envolve ação – é fazer algo pelo que sofre e não apenas sentir pena.
- V. 8: Ser puro de coração é ter sinceridade, uma vida transparente, sem duas caras ou dois comportamentos, sem fingimento ou falsidade.
- V. 9: “Os que trabalham pela paz” não são, aqui, soldados da ONU ou pessoas que fazem passeatas contra a violência. São os que se esforçam para levar as pessoas a ter paz com Deus, através de Jesus Cristo, e ter paz umas com as outras a partir do amor de Cristo em suas vidas.
- V.10: Este versículo está ligado ao 11 e 12. Ser perseguido por fazer a vontade de Deus é ser perseguido por pregar e praticar a justiça e o amor num mundo cheio de injustiça e maldade, é ser perseguido por ser seguidor de Jesus. Nem sempre essa perseguição é direta, mas muitas vezes escondida atrás de coisas que parecem neutras ou inofensivas, como vícios, tentações sexuais, morais e religiosas, como a frase: “todas as religiões são boas e levam a Deus, por isso, não preciso de igreja...”
- V. 12: Como diz Jesus em Mateus 6.21, nossa riqueza ou tesouro está no céu – a recompensa que Ele guarda para nós – a salvação eterna.

      Olhando para tudo isso, temos a impressão que felizes são aqueles fazem tudo o que Jesus diz nesses versículos. Mas quem de nós vive sempre assim? Vamos analisar um pouco mais:

  • Você é pobre de espírito, isto é, tem sempre a consciência de que precisa de Cristo porque sem Ele você é um pecador vazio e perdido? Ou às vezes pensa que não precisa dele em sua vida?
  • Você chora por seus pecados, sente tristeza por eles, ou acha que não são tão graves assim?
  • Você é humilde, sendo gentil e levando bênçãos aos outros, ou às vezes acha que é melhor que os outros, agindo com orgulho e arrogância?
  • Você procura sempre fazer a vontade de Deus em sua vida, ou às vezes acha que Ele não tem nada a ver com suas decisões e ações?
  • Você pratica a misericórdia, ou só fala de misericórdia?
  • Você é puro de coração, ou vive uma vida na igreja e outra vida em casa, no trabalho, na vida social?
  • Você tenta levar a paz de Cristo aos outros, começando em sua casa e família, ou pensa que cada um deve se virar e viver como quiser, e que se alguém quiser paz que venha procurar sozinho a igreja?
  • As pessoas notam que você é cristão, ou sua vida de fé é morna e ninguém sabe que você é um seguidor de Cristo e um cristão verdadeiro?

Analisando tudo isso, vemos que, na verdade, este sermão de Jesus é pura lei, que aponta nossos pecados e nos condena, pois não vivemos sempre como Jesus ali ensina. Por outro lado, a lei de Deus é também norma para nós, nos mostrando quais são as qualidades e alvos que devemos tentar alcançar em nossa vida de cristãos.

Mas, se tudo o que Jesus diz neste texto é lei, por que ele começa cada frase dizendo “felizes” ou “bem-aventurados”? Como podemos ser felizes se sabemos que não cumprimos o que Jesus ensina aqui?

Aí entra a outra função da lei: mostrar que precisamos de um Salvador. Quando vemos que precisamos urgente e desesperadamente de um Salvador, Deus nos presenteia com o seu Evangelho: a boa notícia de que o Salvador existe – Jesus – e que ele cumpriu toda a lei de Deus em nosso lugar, foi o perfeito “bem-aventurado”, recebeu também em nosso lugar o castigo pelos nossos pecados e nos garantiu a recompensa, a vida eterna no céu.

Jesus é aquele que cumpriu cada uma das bem-aventuranças em nosso lugar, sendo pobre de espírito e chorando pelos nossos pecados, pois ele mesmo é santo, e carregando esses pecados na cruz por nós. Assim, é por meio dele que somos realmente felizes, aceitos por Deus e salvos da condenação eterna que merecíamos.

É isso que Paulo diz na epistola de hoje: Deus uniu vocês com Cristo Jesus e fez com que Cristo seja a nossa sabedoria. E é por meio de Cristo que somos aceitos por Deus, nos tornamos o povo de Deus e somos salvos  (1Co 1.30).

Assim, meus irmãos, felizes os que seguem a Jesus! Porque mesmo sendo nós fracos e sem valor diante do mundo, como diz Paulo, Deus nos chamou para sermos seus filhos, crendo e seguindo a Jesus.

Podemos então colocar na frente de cada “felizes” do evangelho a frase “os que seguem a Jesus” e depois o final da frase. Por exemplo: “felizes os que seguem a Jesus e choram, pois Deus as consolará”.

Felizes os que seguem a Jesus! Os que seguem a Jesus recebem a sua justiça, o seu perdão, a sua paz e salvação. E são essas bênçãos que nos capacitam praticar, com alegria e satisfação, as bem-aventuranças que Jesus ensina em Mateus 5.

Felizes os que seguem a Jesus! Felizes somos e felizes seremos, irmãos e irmãs, se seguimos a Jesus, pois Cristo é o poder e a sabedoria de Deus¸ diz o apóstolo Paulo, e Ele guarda uma grande recompensa para cada cristão fiel lá no céu, onde seremos completamente felizes.

Felizes os que seguem a Jesus, pois tudo o que Deus exige de nós, Jesus fez em nosso lugar; todo castigo que era para nós, Jesus recebeu em nosso lugar; e toda a justiça e amor que eram dele, ele dá para nós, para que sejamos verdadeiramente felizes!

Felizes os que seguem a Jesus! Siga a Jesus e seja feliz! Amém.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Deus chama você!


Leia em sua Bíblia 1 Coríntios 1.1-9

Nesta época de férias, se prestarmos atenção, ouvimos bastante o verbo chamar e suas variações. Muitas vezes em situações positivas: chamar a família ou os amigos para um passeio, chamar o táxi para ir ao aeroporto ou rodoviária para viajar de férias, chamar o entregador de pizza, ser chamado para ir à praia ou a uma festa, etc.

Infelizmente também ouvimos este verbo em situações muito negativas, como nos últimos dias em vários lugares do Brasil: chamar os bombeiros e defesa civil para acudir vítimas de enchentes e deslizamentos de terra, chamar caminhões-pipa para ter água potável, chamar a polícia para acudir turistas assaltados ou casas invadidas enquanto os donos saíram de férias, etc.

Em nossa igreja, também chamamos: a nossa congregação estará em assembleia para chamar seu novo pastor e chamar, eleger pessoas para sua nova diretoria. Isto envolve planejamento, preparo, escolhas, expectativas e, é claro, muita oração.

Nós, como cristãos, estamos envolvidos em muitos chamados durante nossa vida aqui no mundo. Mas há um muito especial – Deus, nosso Pai, também nos chama. E este chamado também envolve planos, preparo e expectativas.

Já antes de nascermos Deus tem planos para nós. Ao sermos batizados, nos tornamos seus filhos e entramos em sua família – a Igreja, onde somos acolhidos e integrados pelo seu amor. Então, Ele vai nos abençoando, preparando e usando para um propósito muito especial. Para cada um de nós Ele tem planos, tem uma vocação para cada um que está aqui hoje. Por isso eu digo a cada um: Deus chama você!

Deus chama você! Mas, chama para quê? Conforme os textos bíblicos de hoje, Deus chama para dois propósitos principais. Primeiro, Ele chama você para pertencer ao seu povo. Na epístola, Paulo diz que foi chamado para ser apóstolo de Cristo e que está escrevendo para aqueles que, pela sua união com Jesus Cristo, foram chamados para pertencerem ao povo de Deus (1Co 1.2). Você já pensou bem no que isto significa?

Quer dizer que você não pertence mais ao mundo e ao diabo, não está mais condenado ao castigo do inferno e nem está mais debaixo da ira de Deus e do peso da Lei, mas sim está envolvido e protegido pela graça de Deus! Tudo isso é uma grande bênção e um grande privilégio!

Deus chama você para pertencer ao seu povo. Em 1 Coríntios 1.9 Paulo diz: Deus é fiel e chamou vocês para que vivam em união com o seu Filho Jesus Cristo, o nosso Senhor. E, por estarmos em união com Cristo, integrados ao povo de propriedade exclusiva de Deus, nós somos enriquecidos em tudo, tanto no dom de anunciar o evangelho como no dom da sabedoria espiritual, como Paulo diz no versículo 5.

Deus chama você e o enriquece com o Evangelho e na sabedoria espiritual para pertencer ao seu povo e, também, para um segundo propósito muito importante: Deus chama você para levar a salvação ao mundo inteiro.

Neste ponto vamos ver o texto de Isaías 49.5-6: Quando eu ainda não havia nascido, o SENHOR me escolheu para ser o seu servo a fim de que eu reunisse o seu povo e o trouxesse de volta para ele. Sou muito estimado pelo SENHOR; o meu Deus é a minha força. O SENHOR me disse: "Você não será apenas o meu servo que trará de volta os israelitas que ficaram vivos e criará de novo a nação de Israel. Eu farei também com que você seja uma luz para os outros povos a fim de levar a minha salvação ao mundo inteiro. Isto, meus irmãos, também é um privilégio: ser escolhido pelo próprio Deus para ser seus mensageiros, sua luz, levando a sua salvação ao mundo inteiro. Deus está aqui falando tanto do seu Servo, Jesus, que veio trazer a salvação a todos os povos, como também de nós, seus filhos, a quem Jesus deixou a tarefa de anunciar e fazer chegar às pessoas a salvação que Ele conquistou para todos.

Mas, isso parece difícil, quase impossível. No mundo de hoje, com tanta gente, tantos problemas e conflitos, tantas religiões e filosofias de vida, tanta superstição e misticismo, como vocês e eu podemos levar a salvação de Deus às pessoas? Não é realmente uma tarefa sem dificuldades, mas ela se torna mais simples e mais fácil quando olhamos e seguimos o exemplo de André, em João 1.40-41: logo após começar a seguir Jesus, ele foi e chamou também seu irmão Simão (Pedro).

Deus chama você para levar a salvação ao mundo inteiro, começando com quem está ao seu lado e a seu alcance: seu irmão, pai, filho, cunhado, vizinho, compadre, colega de trabalho, escola ou lazer.

Com suas palavras, atitudes e exemplos temperados com o amor de Jesus, com a Bíblia, devocionários, a revista Boas Novas, com folhetos e outros materiais de evangelismo que nossa igreja oferece, você vai dizer a essas pessoas perto de você o que André disse ao seu irmão Pedro: achei o Messias, o Salvador!

O mundo e as pessoas de hoje parecem ser muito religiosas, há muita gente que nunca ouviu falar da verdadeira e única salvação em Cristo. Há pais que nem batizam mais seus filhos, pois acham que eles é que devem decidir, quando maiores, que fé ou religião seguir.

É para comunicar a essas pessoas a verdadeira Vida que Deus nos chama como Igreja, que Deus tem planos e uma vocação para a vida de cada um de nós. Ele chama você para pertencer ao seu povo e para levar a sua salvação ao mundo inteiro.

Você e eu, salvos por Cristo e integrados na família de Deus no batismo, não estamos aqui por acaso. Estamos aqui neste culto hoje porque Deus tem um plano para nós. E você vive onde vive, tem o que tem e conhece pessoas na sua profissão e relacionamentos porque Deus tem um plano para você em tudo isso.

No culto, Deus está nos enriquecendo no evangelho e na sabedoria espiritual, através da Palavra e Santa Ceia, para que possamos ser usados no seu plano de salvação, guiados pelo seu Espírito Santo.

Deus chama você! Quando falamos de chamado, lembremos que através da congregação Deus chama o pastor para a sua missão, de alimentar e guiar as ovelhas com a Palavra e Sacramentos. Mas, também, Deus chama através do Evangelho cada um de nós, das crianças aos mais idosos, para sermos ativos na missão do Reino de Cristo, comunicando a Vida a todos, seja como pais ou filhos, patrões ou empregados, alunos ou professores, enfim, cada um na vocação que recebeu de Deus.

Deus chama você! Nosso Pai tem um plano para nós que vai muito além dos anos desta vida, com um sentido verdadeiro e eterno, pois através de mim e de cada um de vocês Deus quer chamar mais pessoas para pertencer ao seu povo e espalhar a salvação pelo mundo, comunicando a Vida, acolhendo e integrando mais gente no Reino de Cristo.

Deus chama você! Ele chama você e eu para fazer o que diz Davi no salmo de hoje: Não tenho guardado para mim mesmo a notícia da tua salvação. Tenho sempre falado da tua fidelidade e do teu poder salvador (Sl 40.10). Depois, Ele vai nos chamar para os seus braços, nos acolhendo na vida eterna com todos os salvos. Amém.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O Batismo é a vacina de Deus contra o pecado!

Leia em sua Bíblia Romanos 6.1-11


Nós aqui no Brasil estamos acostumados com vacinas. Até uns 10, 12 anos de idade nós tomamos várias diferentes – contra a poliomielite, o sarampo, gripes, etc. E ninguém questiona se elas funcionam ou não, ou se devem ou não levar seus filhos para ser vacinados. Confiamos que elas fazem o que é prometido – proteger-nos de várias doenças durante nossa vida. E, de fato, vemos que elas funcionam mesmo.

É incrível, então, que mesmo confiando em vacinas feitas por seres humanos, que são imperfeitos e cheios de falhas e pecados, exista gente que não acredita que uma outra vacina, muito mais poderosa e com um efeito muito maior, funcione. Sim, tem gente que não acredita que a vacina de Deus – o batismo – funcione.

Há muita gente que não acredita que o batismo possa produzir nas pessoas o perdão dos pecados, a vida e a salvação, e criar “anticorpos” contra o pecado - o que a Bíblia chama de “novo homem”, “nova criatura” ou “nova pessoa”.

É aqui que entra o texto da epístola de hoje, de Romanos 6.1-11, um dos mais importantes da Bíblia sobre o batismo. Neste dia em que a Igreja lembra especialmente o batismo de Jesus, vamos ver como o apóstolo Paulo mostra aqui o poderoso efeito do batismo em nossas vidas.

A primeira coisa que nos chama atenção é Paulo dizer, nos versículos 3 e 4, que no batismo nós fomos unidos com Jesus em sua morte e assim fomos sepultados com ele. Mas para que morremos com Cristo? Vamos ouvir o próprio apóstolo nos responder: Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim, não sejamos mais escravos do pecado. Pois quem morre fica livre do poder do pecado. Assim também vocês devem se considerar mortos pelo pecado (Rm 6.6,7,11a).

No batismo morremos com Cristo na cruz para o pecado! Ainda temos pecado em nós, mas depois da “vacina” do batismo o pecado não nos mata mais, não nos condena e não domina a nossa vida, pois não tem mais poder sobre nós. Por quê? A resposta vemos naquilo que Paulo nos diz também nos versículos 4, 8, 10 e 11, onde lemos: Assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. Se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. A sua morte foi uma morte para o pecado e valeu de uma vez por todas. E a vida que ele vive agora é uma vida para Deus. Por estarem unidos com Cristo Jesus, vocês devem se considerar vivos para Deus (Rm 6.4b,8,10,11b).

Em nosso batismo não só morremos com Cristo para o pecado, mas também renascemos com ele para uma vida nova, vida para Deus, vida comunicada, transmitida, dada e implantada em nós pelo próprio Deus Espírito Santo no momento em que recebemos sua poderosa vacina espiritual, o batismo.

E assim como não importa a idade de quem recebe uma vacina, pois ela faz efeito em qualquer pessoa, de qualquer idade, sexo, posição social, raça, nível educacional ou econômico, assim é com a vacina de Deus, o batismo: o poder está no próprio batismo e por isso também o aplicamos às criancinhas recém-nascidas. Pois é o próprio Jesus quem diz: Ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito (Jo 3.5). E também Paulo e Pedro dizem: Ele nos salvou por meio do Espírito Santo, que nos lavou, fazendo com que nascêssemos de novo e dando-nos uma nova vida (Tt 3.7). Aquela água (do dilúvio) representava o batismo, que agora salva vocês (1Pe 3.21a).

Por tudo isso, podemos dizer com toda a convicção que a vacina de Deus contra o pecado é o batismo! No batismo Deus nos acolhe e integra na sua família, pois naquele momento Deus nos comunica a vida nova que Cristo conquistou para nós na cruz – ali morremos com Cristo e ressuscitamos com ele para sermos agora dominados e controlados não mais pelo pecado e a lei, mas pela graça salvadora de Deus.

Com essa poderosa vacina Deus não apenas nos deu “anticorpos” contra o pecado, mas nos revestiu com o próprio Jesus, como diz Paulo: Porque vocês foram batizados para ficarem unidos com Cristo e assim se revestiram com as qualidades do próprio Cristo (Gl 3.27). 
 
Jesus não precisava desta “vacina”, pois ele era o Filho de Deus, santo e sem pecado. Mas deixou-se batizar para fazer “tudo o que Deus quer”, como ele mesmo disse a João Batista (Mt 3.15b). Acima de tudo, ao fazer tudo que Deus tinha planejado para ele, Jesus conquistou para todos os pecadores do mundo a nova vida, ao morrer e ressuscitar em lugar dos pecadores – o inocente e santo tomando o lugar do culpado e pecador.

Para receber estas bênçãos conquistadas por Jesus, Deus nos dá a Palavra e os Sacramentos. O primeiro é o batismo, a vacina de Deus contra o pecado, para que até as criancinhas, que ainda não compreendem a pregação da Palavra de Deus, possam receber a nova vida e a salvação de Jesus pela ação do Espírito Santo no batismo.

Através da Palavra, Batismo e Santa Ceia, a Igreja comunica a Vida, que é Jesus. Pela graça de Deus nós já temos essa nova vida, desde o dia do nosso batismo. Recebemos ali a vacina de Deus contra o pecado e a nova vida dentro de nós. Por isso, sempre é bom ouvir de novo o que Paulo nos diz em 2 Coríntios 5: Cristo morreu por todos para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas vivam para aquele que morreu e foi ressuscitado para a salvação deles. Pois quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo (2Co 5.15,17).

Batizados, somos novas pessoas que podem dizer como Paulo diz em Gálatas 2.20: Assim já não sou em quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim.

Sabemos que as vacinas são importantes para nós e nossos filhos. Elas nos protegem das doenças e preservam nossa saúde. Mas a vacina mais importante que recebemos e que devemos oferecer às pessoas, como cristãos e Igreja, é a vacina de Deus contra o pecado – o batismo.

Que Deus nos ajude a valorizar essa vacina do Espírito Santo em nosso viver, para que diariamente morramos para o pecado e vivamos para Deus, guiados e controlados por sua graça salvadora.
 
E que possamos levar a todos que Deus coloca em nosso caminho neste mundo a Vida verdadeira, que não só nos defende do pecado, mas nos dá vida nova e eterna.

Refletindo Cristo aos outros em alegria, vamos comunicar a Vida que Deus deu a cada um de nós na sua vacina contra o pecado – o batismo! Amém.